Museu de Arte de Santa Catarina (Florianópolis)

Museu de Arte de Santa Catarina

O Início

O Museu de Arte de Santa Catarina (MASC) é uma entidade vinculada à Fundação Catarinense de Cultura (FCC), criado em 18 de março de 1949 com o nome de Museu de Arte Moderna de Florianópolis (MAMF).

Desde então, é o órgão oficial na área das artes visuais, instalado, hoje, no prédio do Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis, a Capital do Estado.

A trajetória de origem e desenvolvimento do MASC coincide com um momento de efervescência e dinamismo cultural que marcou a década de 40 no Brasil, quando foram criadas instituições de referência como o Museu de Arte de São Paulo (MASP), em 1947, e o Museu de Arte Moderna (MAM), no Rio de Janeiro, em 1948.

O Círculo de Arte Moderna (CAM), mais tarde conhecido por Grupo Sul, constituiu-se num antecedente histórico marcante para o então MAMF, ao trazer para a Florianópolis, em 1948, a “Exposição de Arte Contemporânea”, juntamente com a presença de seu idealizador, o escritor carioca Marques Rebelo. Foi, a partir dessa mostra, acompanhada de palestras sobre arte contemporânea proferida pelo escritor, que nasceu o embrião do atual MASC.

Acervo

A formação do acervo do Museu de Arte de Santa Catarina teve início através da apresentação, da “Exposição de Arte Contemporânea”, trazida a Florianópolis em 1948 pelo escritor carioca Marques Rebelo.

A mostra, que na época repercutiu na cidade, foi apresentada no Grupo Escolar Modelo Dias Velho, hoje Escola Básica Antonieta de Barros,  no centro da cidade, deixando, na oportunidade, importantes doações por parte do próprio escritor, de artistas participantes, e aquisições oficiais.

A idéia do escritor era que a exposição frutificasse em museu, e juntamente com o apoio de um grupo de intelectuais de Florianópolis, conhecido por Grupo Sul, essa intenção deu certo, e a 18 de março de 1949, através de Decreto Estadual, foi criado o então Museu de Arte Moderna de Florianópolis – MAMF, atual Museu de Arte de Santa Catarina – MASC.

Passado mais de meio século, o acervo do MASC conta com uma significativa representação da arte nacional.

Obras

A arte catarinense está representada, entre outros, por obras de Eduardo Dias, Malinverni Filho, Martinho de Haro, Hassis, Eli Heil, Rodrigo de Haro, Elke Hering, Rubens Oestroem, Luiz Henrique Schwanke, Juarez Machado, formando uma verdadeira retrospectiva da arte de Santa Catarina.


Na coleção nacional figuram nomes como Di Cavalcanti, Cândido Portinari, Djanira, Emeric Marcier, Alfredo Volpi, Tarsila do Amaral, Guignard, José Pancetti, Carlos Scliar, Iberê Camargo, Tomie Ohtake, Aldo Bonadei, Mário Zanini, Lula Cardoso Ayres, Frans Krajcberg, Antonio Maia, Marcelo Grassmann, Fayga Ostrower, Antonio Henrique Amaral, Lívio Abramo.

O Núcleo

 Conservação e Acervo conta com a Sala de Conservação Preventiva, que possibilita a integridade das obras, manuseio, e cuidados no controle ambiental (temperatura e umidade relativa do ar) da sala da Reserva Técnica, local de guarda das peças do acervo.

O Núcleo conta, ainda, com o apoio do Atelier de Conservação e Restauração de Bens Culturais Móveis – ATECOR da Fundação Catarinense de Cultura, na restauração de obras e apoio técnico em procedimentos de conservação.

O núcleo de acervo organiza mostras didáticas, temporárias e permanentes com objetivo de levar ao público maiores informações sobre a obra e o artista.

Horário de visitação: terça-feira a domingo, das 10h às 21h – Entrada Gratuita.
Av. Gov. Irineu Bornhausen, 5.600 – Agronômica – CEP 88.025-202 – Florianópolis/SC | Fone: +55 48 3664-2629 | E-mail: masc@fcc.sc.gov.br

http://falandodeturismo.com.br/2018/03/18/atrativos-turisticos/

http://falandodeturismo.com.br/2018/03/06/museu-historico-de-santa-catarina/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *